O que é terapia eletroconvulsiva?

O tratamento psiquiátrico com terapia eletroconvulsiva é um procedimento que induz convulsões em pacientes em estágios graves de algumas patologias. A técnica foi descoberta da década de 30 ao perceber que pessoas com epilepsia compulsiva não sofriam que psicoses. Desde então, passou a realizar testes de modo a comprovar e criar um protocolo totalmente seguro para o tratamento.

Mesmo que para muitas pessoas apenas o nome cause receio, uma vez que associa eletricidade a tratamentos psiquiátricos, o que muito se deve ao imaginário das pessoas sobre a técnica, por vezes é associada a torturas e os extintos manicômios. Entretanto, o tratamento com eletroconvulsoterapia é perfeitamente seguro e essencial para muitos os casos severos de doenças psiquiátricas.

Quando é indicado o ECT (Eletroconvulsoterapia)?

O ECT é indicado, sobretudo, para os casos em que o paciente não responde aos tratamentos convencionais. Além disso, o procedimento com ECT é realizado quando há a necessidade de uma resposta ainda mais rápida ao tratamento.

Quais patologias psiquiátricas em que o ECT é indicado?

Desde que o procedimento recebeu um protocolo considerado totalmente seguro, a eletroconvulsoterapia é indicada para esquizofrenia, depressão e transtorno afetivo bipolar. Na esquizofrenia, o ECT possui importante resposta aos sintomas de delírio e alucinação. No transtorno depressivo maior, o procedimento busca uma resposta mais rápida ao tratamento e, no transtorno afetivo bipolar, o ECT atua ainda, quando o paciente é resistente ao tratamento.

× Como posso te ajudar?